Deixar de ligar faróis de dia na pista vai dar multa a partir de sexta

Motorista que desrespeitar lei vai perder quatro pontos na CNH
Motorista que desrespeitar lei vai perder quatro pontos na CNH

Entra em vigor nesta sexta-feira, 8, a Lei nº 13.290 que torna obrigatório o uso de farol baixo durante o dia em rodovias brasileiras. Até lá, motoristas têm sido orientados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) de que o desrespeito irá gerar multa. O uso de faróis baixos ou de faróis de rodagem diurna (DRL) é suficiente para o cumprimento da lei e estão regulamentados pela Resolução CONTRAN nº 227/2007. Vale ressaltar que faróis de neblina, de milha, ou faroletes, não cumprem a função exigida pela lei.

A infração é de natureza média, com quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação e multa de R$ 85,13. Anteriormente, o uso do farol baixo nas rodovias durante o dia era opcional. De acordo com o senador José Medeiros (PSD-MT), que foi relator da matéria e foi policial rodoviário federal por 20 anos, trata-se de um procedimento simples, mas que vai contribuir com a redução de colisões frontais nas rodovias. “O trânsito brasileiro é um dos que mais matam no mundo. São quase cinquenta mil vítimas fatais por ano. Essa proposta, além de não ter custos pode resultar em menos acidentes”, afirmou José Medeiros.

Pesquisa realizada no Canadá aponta que manter os faróis ligados durante o dia torna o veículo visível para quem trafega na direção oposta a uma distância de até três quilômetros. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) orienta o uso do farol como forma de prevenir colisões frontais, já que acionar as luzes aumenta em 60% a visibilidade dos veículos.

Estados como Paraná, Minas Gerais e Rio Grande do Sul já obrigavam condutores…[LEIA MAIS]

CNT: Condições da malha rodoviária aumentam riscos de acidentes

Pistas simples e de mão dupla aumentam riscos de colisões frontais
Pistas simples e de mão dupla aumentam riscos de colisões frontais

As condições da malha rodoviária nacional potencializam os riscos de acidentes. É o que revela estudo da Confederação Nacional de Transportes (CNT), que analisou mais de 100 mil quilômetros de vias federais, estaduais e sob concessão.

O mapeamento mostra que 86% das rodovias são de pista simples e de tráfego nos dois sentidos. Além disso, constatou-se que em 83% dos trechos de subida não têm faixa adicional, dispositivo importante para ultrapassagens.

De acordo com o chefe do Núcleo de Estatística da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Marcus Vinícius Moreira, a maior parte das colisões frontais – que contabilizam o maior número de mortos nas estatísticas – acontece em pistas simples. “São ultrapassagens em locais proibidos, ou até em locais onde ela é permitida, mas o motorista não visualiza o outro veículo vindo em direção contrária”, explica.

O cenário causa outros transtornos logísticos. Em pistas simples, principalmente onde há maior fluxo de caminhões, o transporte fica lento e aumenta o custo operacional das empresas.

Entre as rodovias sob jurisdição do poder público, 94% têm pista simples. Já nas privatizadas, o índice cai para 54%. Outro dado que preocupa é que 40% das rodovias não têm acostamento, o que aumenta o risco aos motoristas e passageiros já que, diante de imprevistos, os condutores não têm área de fuga.

Precariedade e prejuízos
Os custos com o transporte rodoviário de cargas chegam a dobrar em vias onde o pavimento é considerado péssimo. Nas estimativas de pesquisa da CNT, o aumento nos gastos é de 65,6% em rodovias ruins e de 41%, nas regulares. Já quando o pavimento é classificado como ótimo não há aumento no custo operacional, que abrange o consumo de combustível, tempo de viagem e manutenção dos veículos.

Em média, o impacto é de 25,8% no custo operacional. Nas rodovias…[MAIS]

Primeira etapa da duplicação da BR-040 é concluída

BR-040 terá mais de 900 quilômetros de rodovia duplicada até 2020
BR-040 terá mais de 900 quilômetros de rodovia duplicada até 2020

Novas pistas duplicadas já foram entregues em 58,6 quilômetros de segmento da BR-040, no trecho entre Luziânia e Cristalina, em Goiás, e João Pinheiro, em Minas Gerais. Esta é a primeira fase da contrapartida da concessionária vencedora de leilão para exploração comercial da malha viária, que terá ainda 936.8 quilômetros de estrada duplica, entre Brasília (DF) e Juiz de Fora (MG). Ainda estão previstos no projeto pistas mais largas, presença de acostamento, sinalização e asfalto de alta aderência.

O trecho duplicado tem duas faixas de rolamento de 3,6 metros de largura, além de acostamento com 2,5 metros de campo. Os sentidos de tráfego são separados por um canteiro central integrado a um completo sistema de drenagem.

A estrada conta também com nova sinalização vertical e horizontal com placas de indicação, advertência e regulamentação, bem como faixas refletivas no pavimento que auxiliam os motoristas na direção noturna. Painéis de mensagens variáveis completam o sistema.

“A entrega aos usuários de quase 60 quilômetros de rodovia duplicada tem grande significado. A BR-040 será 100% duplicada nos próximos quatro anos, tornando-se muito mais moderna e segura, mas desde já os usuários perceberão o padrão de qualidade que estamos implantando. Nosso trabalho de transformar caminhos e conectar pessoas ganha um novo impulso com a superação dessa etapa”, destaca o presidente da Via 040, Tulio Abi-Saber.

Segurança
A duplicação reduz o risco de colisões frontais, que aumentam em até 25 vezes a probabilidade de óbito das vítimas. Pistas mais largas permitem que os veículos trafeguem com maior distância.

Os deslocamentos também devem ser mais curtos no trecho duplicado. No campo logístico, abre espaço para o transporte de cargas especiais, caso de grandes componentes industriais. As novas pistas agilizam a movimentação de bens e reduzem os desafios operacionais, o que se reflete em menor preço do frete e no aumento da competitividade da economia.

A BR-040/DF/GO/MG foi concedida para iniciativa privada com o objetivo de exploração da infraestrutura, em 22 de abril de 2014, pelo período de 30 anos. A licitação fez parte da 3ª etapa do programa de concessões rodoviárias do governo federal.

Tocantins tem nova pista para aulas práticas de motocicleta

Nova pista vai gerar economia de R$ 155 ao candidato à habilitação na categoria A
Nova pista vai gerar economia de R$ 155 ao candidato à habilitação na categoria A

A nova pista para aulas e provas práticas para motociclistas em processo de formação já está em funcionamento em Palmas-TO. A estrutura fica ao lado da sede do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-TO), tem cerca de 200 metros e cumpre as normas da Resolução 168/04 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Com a nova estrutura, os candidatos não precisarão mais desembolsar R$ 155 para a realização das aulas e provas em pista particular. A mudança da pista foi informada há dois meses aos donos de Centros de Formação de Condutores (CFCs). Na última sexta-feira, 19, o Detran-TO divulgou no Diário Oficial do Estado a portaria nº 453/15, que regula dias e horários das aulas práticas para a categoria A.

A Resolução 168/04, “estabelece normas e procedimentos para a formação de condutores de veículos automotores e elétricos, a realização dos exames, a expedição de documentos de habilitação, os cursos de formação, especializados e de reciclagem”. De acordo com o artigo 158, do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), “a aprendizagem só poderá realizar-se: nos termos, horários e locais estabelecidos pelo órgão executivo de trânsito; e acompanhado o aprendiz por instrutor autorizado”.

Acidentes
O Estado do Tocantins tem um dos trânsitos mais violentos para motociclistas. É o quarto no ranking nacional de vítimas de acidentes com motocicletas, onde a taxa de mortalidade é de 12,1 por 100 mil habitantes. Pesquisa do Ministério da Saúde alerta para um salto de 89,6% nos registros, entre 2002 e 2012, índice superior à média nacional, de 6,3 mortes.

Somente em 2013, 203 motociclistas morreram em acidentes no Tocantins. Dados da Secretaria da Saúde do Estado (Sesau) revelam que o condutor sobre duas rodas está mais vulnerável. Em 2012, somente no Hospital de Palmas (HGP), 1.042 atendimentos foram prestados a vítimas de acidentes de moto. No ano seguinte, os registros chegaram a 1,9 mil e, no ano passado, 1.711. Em janeiros deste ao, dos 199 acidentados socorridos, 152 estavam em motocicletas.

Atualmente, o Tocantins possui uma frota de 594.149 veículos, dos quais 286.345 são motocicletas.

Concessão terá investimentos de R$ 6,6 bi em obras na BR-163/MT/PA

Investimentos na BR-163 vão ampliar escoamento da safra de grãos
Investimentos na BR-163 vão ampliar escoamento da safra de grãos

Empresa que assumir a concessão da BR-163/MT/PA, que vai a leilão ainda neste ano, segundo o Ministério dos Transportes, deverá investir R$ 6,6 bilhões como contrapartida da exploração comercial do trecho em obras. As melhorias ao longo dos 973 quilômetros, que vão de Itaituba, no Pará, a Sinop, no Mato Grosso, vão aumentar o escoamento da safra de grãos pelos portos do Arco Norte.

O anúncio foi feito pelo ministro dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues, em reunião nesta segunda-feira, 22, em Belém. Ministro e comitiva seguem a um cronograma de reuniões técnicas para detalhar as ações previstas no programa de concessões rodoviárias do governo federal, cuja nova fase vai até 2018. Já foram realizados encontros em Florianópolis (SC) e Curitiba (PR).

Para o ministro, incluir o Pará no programa é estratégico, do ponto de vista do desenvolvimento da logística regional. Rodrigues afirmou que o estado demanda a cada ano mais infraestrutura integrada para garantir o escoamento da produção agrícola. “O programa irá contemplar obras prioritárias no estado trazendo benefícios para produção agrícola da região, interligando todos os modais. Aqui, rodovias, ferrovias e o transporte de cabotagem vão trabalhar juntos para desenvolver o país”, concluiu.

Ferrovias
No Pará, o programa de concessões também engloba a Ferrovia Norte-Sul, entre Barcarena, no Pará, e Açailândia, no Maranhão. Este trecho está no lote a ser concedido que engloba outro…

Em Alagoas, Detran oferece frota própria para exames práticos de CNH

Carros do Detran vão reduzir custos ao motorista que for tirar CNH em Alagoas
Carros do Detran vão reduzir custos ao motorista que for tirar CNH em Alagoas

O Departamento de Trânsito de Alagoas agora oferece frota própria para candidatos à prova prática de CNH na categoria “B”. O órgão afirma que a iniciativa não acarreta custo adicional ao condutor em formação.

Todos os veículos têm ferramenta de gestão de exames como sensores de telemetria e sistema de monitoramento de áudio e vídeo.

A coordenadora Setorial de Controle de Condutores, Lisiane Rocha, afirma que, além de garantir transparência nas provas, a iniciativa tem como objetivo reduzir o custo pago ao cidadão para requerer a CNH. “Os sensores de telemetria detectam as faltas cometidas pelos candidatos, como exceder limite de velocidade, utilizar ou deixar de utilizar as setas de forma correta, interromper o funcionamento do motor sem motivo justificado, entre outras faltas possíveis durante o exame”, explicou. “Nosso objetivo também é reduzir o custo para o candidato que não terá que arcar com o aluguel de veículos para a realização dos exames. Os veículos são novos e equipados de direção hidráulica, ar condicionado, airbag e freios ABS”, concluiu.

O Detran também passou a realizar exames práticos na nova pista de direção com o sistema de automação de exames práticos. A pista foi construída com 16 opções de trajeto.