Ford faz parceria com gigante para popularizar veículo elétrico na China

Ford quer ampliar participação no mercado de veículos elétricos

A Ford vai produzir veículos elétricos com a Anhui Zotye Automobile. A joint venture com a grande fabricante na China prevê também a venda e manutenção da nova linha de autos elétricos no mercado chinês.

A parceria está alinhada ao objetivo da montadora americana de tornar veículos elétricos mais acessíveis para consumidores e contribuir com a sustentabilidade ambiental. “Poder lançar uma nova linha de veículos totalmente elétricos no maior mercado automotivo do mundo é um passo empolgante para a Ford na China”, diz Peter Fleet, presidente da Ford Ásia Pacífico. “Os veículos elétricos terão uma participação importante na China no futuro e a Ford quer ser líder em novas soluções nesse segmento.”

A China é destaque no cenário global quando o assunto é a criação de energias alternativas no mercado automotivo. Em 2025, a meta da Ford é chegar a 6 milhões de unidades produzias por ano, sendo 4 milhões totalmente elétricos.

Entre as marcas pioneiras na produção de veículos elétricos, destaque no segmento aqui no Brasil, a Zotye Auto lidera no mercado chinês de compactos com propulsão elétrica. Há dois meses, a montadora vendeu mais de 16 mil unidades, um incremento de 56% nas vendas em relação ao mesmo período de 2016.

Os veículos que serão produzidos pelas marcas aliadas serão vendidos sob uma nova marca. Detalhes serão revelados somente após ser estabelecido acordo definitivo. “A parceria entre a Zotye Auto e a Ford fortalece ambas as partes para que possamos ter uma participação importante no crescente mercado de veículos elétricos na China”, diz Jin ZheYong, presidente da Anhui Zotye Automobile Co., Ltd., com sede em Huangshan, província de Anhui.

A Ford planeja lançar globalmente 13 novos veículos elétricos nos próximos cinco anos, com um investimento de US$ 4,5 bilhões, e anunciou uma ambiciosa estratégia de eletrificação na China: até 2025, 70% dos veículos da marca vendidos no país terão uma opção elétrica.

Diretor da Porsche assume Volkswagen com missão de “limpar bagunça”

Matthias Mueller, novo CEO da Volkswagen imagem: Agência Reuters
Matthias Mueller, novo CEO da Volkswagen / imagem: Agência Reuters

O comando da Volkswagen foi assumido nesta sexta-feira, 25, pelo chefe da divisão de carros esportivos da Porsche, Matthias Mueller, substituto de Martin Winterkonr, que pediu demissão na quarta-feira depois de vir à tona o escândalo mundial por conta da alteração no sistema de testes de emissões de poluentes em motores a diesel de pelo menos 11 milhões de veículos da marca.

Conforme informações da Agência Reuters, o cenário é de incertezas nos bastidores da alta cúpula da montadora alemã, que terá a difícil tarefa de “limpar a bagunça”, principalmente nos Estados Unidos, de onde surgiu a denúncia da Agência Ambiental.

A marca, segundo um interlocutor, deve promover uma investigação completa do caso que será liderada por um escritório de advocacia dos Estados Unidos. Além da crise, recém-instalada, a VW enfrente uma série de processos e investigações governamentais, despesas de remuneração e recall. O prejuízo calculado é de 7,28 bilhões de dólares. Soma-se a isso a perda de…[MAIS]

Grupo chinês sinaliza interesse em produzir veículos elétricos no Vale do Paraíba

Produção de veículos elétricos: Brasil na mira dos chineses
Produção de veículos elétricos: Brasil na mira dos chineses

Em visita ao Parque Tecnológico de São José dos Campos, comitiva liderada pelo ministro de Ciência e Tecnologia da China, Wan Gang, sinalizou interesse em promover o desenvolvimento e a produção de veículos elétricos no Vale do Paraíba. O governo chinês assinou com a administração municipal de São José dos Campos parceria de cooperação tecnológica.

A reunião teve também a participação do prefeito Carlinhos Almeida, do diretor-geral do Parque Tecnológico, Marco Antonio Raupp, do presidente da AEB (Agência Espacial Brasileira), José Raimundo Braga Coelho e representantes da Boeing, da Embraer e da empresa chinesa BYD, líder mundial em produção de baterias e que também desenvolve veículos elétricos.

A comitiva chinesa apresentou as perspectivas no mercado nacional e o interesse em instalar-se no Parque de São José, especialmente para a produção dos veículos elétricos. “É um trabalho que vai além da produção de carros. Envolve todo um trabalho de pesquisa em tecnologia de energia limpa e renovável. Temos uma frota de 350 ônibus e cerca de mil veículos na prefeitura, onde podemos aplicar esse conhecimento das empresas de base tecnológica”, explicou o prefeito.

A prefeitura apresentou aos chineses o projeto Muriqui, em desenvolvimento no município para colocar à disposição dos serviços públicos veículos movidos a eletricidade. “Nós temos várias trocas bilaterais profundas. Há interesse governamental de fazer negócios com vocês. Agora temos que escolher a direção correta dos projetos”, afirmou Wan Gang, antes de sinalizar que “muitas empresas chinesas têm grandes expectativas em relação a investimentos no Brasil.”

Na sexta-feira, 19, Brasil e China assinaram memorando de entendimento (MdE), entre MCTI e o Ministério da Ciência e Tecnologia da China (MOST), para cooperação bilateral em ciência, tecnologia e inovação (CT&I) na área de parques tecnológicos.