Simuladores de direção estão instalados em mais de 3 mil autoescolas

Simuladores de direção estão instalados em mais de 3  mil autoescolas

Simuladores de direção estão instalados em mais de 3 mil autoescolas

by 12 de janeiro de 2016 0 comments
Simulador diminui riscos de acidentes nos primeiros dois anos de habilitação, indica estudo

Simulador diminui riscos de acidentes nos primeiros dois anos de habilitação, indica estudo

Levantamento feito pelo Ministério das Cidades, por meio do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), mostra que 3.500 Centros de Formação de Condutores (CFCs) espalhados pelo país já contam com simuladores de trânsito, obrigatórios para a formação de novos motoristas de trânsito.

A exigência foi analisada por Detrans preocupados com a qualidade do aprendizado dos futuros condutores. Em 2013, o simulador foi instituído para a categoria B e, no ano seguinte, seu uso se tornou opcional.

A obrigatoriedade do uso de simuladores em autoescolas credenciadas teve o prazo estendido para junho, por meio da Resolução nº 571, publicada em dezembro pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). A medida foi tomada depois que o órgão constatou a falta de equipamentos no mercado para suprir a demanda em todo o país. Anteriormente, a medida deveria ser cumprida no primeiro dia de janeiro.

No país, seis empresas vendem o aparelho, que custa cerca de R$ 50 mil. Para que o impacto financeiro não seja um impeditivo, o Denatran permitiu o uso compartilhado dos equipamentos.

Formação
Estudos do National Center for Injury Prevention and Control, agência de prevenção e controle de lesões nos Estados Unidos, mostra que o uso do simulador ajudou a contribuir com a redução pela metade de acidentes nos 24 primeiros meses de habilitação.

Outra pesquisa, realizada em 2099 pela Universidade de Santa Catarina avaliou que o uso do simulador nos cursos preparatórios de novos condutores permite ao aluno sair…[MAIS]

Pages: 1 2

No Comments so far

Jump into a conversation

No Comments Yet!

You can be the one to start a conversation.

Deixe uma resposta