Pesquisa revela que 92% dos acidentes causados por consumo de bebida são provocados por homens

Pesquisa revela que 92% dos acidentes causados por consumo de bebida são provocados por homens

Pesquisa revela que 92% dos acidentes causados por consumo de bebida são provocados por homens

by 29 de abril de 2015 0 comments
Homens envolvidos em acidentes por consumo de álcool têm baixa renda

Homens envolvidos em acidentes por consumo de álcool têm baixa renda

Dos acidentes associados ao consumo de bebida alcoólica no Brasil, 92% são provocados por homens, indica estudo recém-divulgado pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP), da Universidade de São Paulo (USP). A maior parte (79,3%) é de baixa renda e não concluiu o ensino médio (52,4%).

A predominância de pessoas de sexo masculino envolvidas em acidentes trata-se de uma questão cultural, segundo a autora da pesquisa, Carla Andrea Gondim Lemos. “Os homens apresentam comportamento mais arriscado no trânsito e consumo habitual de álcool mais frequente que as mulheres”, avalia.

O levantamento tem como base os atendimentos prestados no Hospital Público Universitário de Uberlândia, em Minas Gerais. Foram ouvidas 279 vítimas de acidentes internadas nas enfermarias de traumatologia entre abril e novembro de 2013.

Entre as vítimas de acidentes de trânsito predominaram homens, 82,4%, com média de idade de 34 anos e que cursaram o ensino médio, revelou o estudo. “Quanto aos acidentes que envolveram o consumo de álcool, a maioria envolveu motociclistas, 74,9%, e 88,9% dos causadores dos problemas haviam bebido cerveja”, conta a pesquisadora.

A pesquisa detectou a partir de instrumento elaborado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para identificação do uso excessivo de álcool (AUDIT) que 41,6% dos entrevistados são considerados bebedores de risco. “O instrumento contém 10 questões que avaliam quantidade, frequência, embriaguez, sinto¬mas de dependência e risco de consequências danosas ao usuário”, explica a pesquisadora.

“Além disso, a maioria dos acidentes aconteceu nos finais de semana”, ressalta a pesquisadora, que vê o dado como fruto das atividades de lazer em que o consumo de bebidas alcoólicas é frequente. “A desatenção dos condutores que teoricamente encontram-se mais relaxados e as chances de desrespeitar as leis do trânsito em função do menor movimento das ruas também devem ser considerados”, completa a fisioterapeuta.

Os impactos dos acidentes envolvendo álcool não se limitam a saúde das vítimas. Os custos sociais e econômicos também são relevantes para o país. No ano passado, 172.780 pessoas foram internadas vítimas do trânsito.  Entre 2010 e 2013, ocorreram mais de 313 mil internações no Sistema Único de Saúde (SUS) decorrentes do alcoolismo. São gastos, em média, cerca de R$ 60 milhões por ano com pessoas dependentes do álcool.

Exames de alcoolemia em vítimas
A Associação Nacional dos Detrans (AND) deve propor que vítimas fatais de acidentes de trânsito sejam submetidas a exames para detectar se o indivíduo consumiu álcool. Para ter validade, foi proposta alteração na resolução nº 432, artigo 11 do Detran, que obriga a coleta imediata de mostras de sangue do indivíduo.

Também devem ser incluídas na coleta do material genético vítimas hospitalizadas. Para a AND, a mudança vai ajudar a elucidar os acidentes e responsabilizar os reais culpados. A pauta deve ser um dos destaques da Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro, relançada na Câmara Federal para os anos de 2015 a 2018 com a finalidade de discutir ideias e medidas para reduzir as mortes no trânsito.

No Comments so far

Jump into a conversation

No Comments Yet!

You can be the one to start a conversation.

Deixe uma resposta