Negócios sobre rodas #2: a customização do truck business

Negócios sobre rodas #2: a customização do truck business
Busguer: Ônibus food truck é sucesso na Grande São Paulo

Busguer: Ônibus food truck é sucesso na Grande São Paulo

Desde a fase de planejamento até a hora de colocar o food truck pela primeira vez para circular, o empreendedor deve ficar ligado em certos cuidados para que tudo saia dentro do esperado. E uma das etapas mais importantes é a customização do veículo. Algo que vai muito além da estética da unidade móvel.

A projeção do truck deve ser confiada a profissionais. De acordo com Alcides Braga, proprietário da Truckvan, uma das empresas líderes em customização de veículos para negócios no mercado brasileiro, o processo envolve uma equipe formada por especialistas em engenharia, arquitetura, elétrica, mecânica e hidráulica. “Cada projeto é muito peculiar e precisa de uma personalização exclusiva. Deve atender e, principalmente, superar as expectativas dos clientes”, afirma.

Os padrões de segurança também exigem atenção. As customizações sobre rodas devem seguir padrões de ARTs (Anotação de Responsabilidade Técnica) de mecânica, gás e elétrica, que garantem à sociedade que o projeto foi executado por um profissional habilitado seguindo todas as normas de segurança.

Leia também: Negócio sobre rodas é saída para escapar da crise

Na Truckvan, por exemplo, a customização de um veículo leva entre 60 e 120 dias. O prazo varia de acordo com o nível de dificuldade e as especificações de cada produto. Dos moldes de alumínio até a pintura e adesivagem, são sete etapas.

BRASAA unidade primeiro é nivelada e é feito o isolamento térmico. Depois o compartimento passa pela fase de instalação de elétrica e hidráulica. Em seguida, começa o revestimento interno. Os materiais usados neste processo são inox, MDF revestido com melaninico, entre outros.

Depois os profissionais avançam para a etapa de revestimento do piso, podendo ser em chapa recalcada, xadrez ou vinílico. Enfim é feita a instalação dos equipamentos solicitados pelo cliente. E depois a comunicação visual. Cada projeto é customizado por cerca de seis profissionais, sendo dois eletricistas, dois marceneiros e dois montadores.

Orçamento
Para quem pretende dar a partida rumo à montagem de um food truck ou outro negócio sobre rodas, a pesquisa é fundamental. É importante verificar qual tipo de veículo se adapta ao seu negócio, seja um trailer, um furgão ou um baú sobre chassi.

O custo da customização varia bastante. Na Truckvan, por exemplo, parte de R$ 50 mil, no caso de projetos mais simples em utilitários pequenos e chega a R$ 3 milhões, neste caso, em carretas de 15 metros de comprimento com dois avanços, cerca de 100 m² de área útil, com equipamentos de última geração, como simuladores de máquinas pesadas, tomografia móvel e assim por diante.

Outro detalhe importante é estar de acordo com as licenças junto aos órgãos competentes e poder trabalhar nas ruas sem problemas.

Inovação
Caprichar no visual do negócio móvel é mais um chamariz que pode fazer a diferença em meio ao boom dos food trucks, que já passam de 1,2 mil unidades no Brasil, segundo o Sebrae. E foi justamente a necessidade de fazer algo diferente da concorrência que motivou os empresários Rodrigo Arjonas e Luciano Oberle a investir em um formato diferente para a hamburgueria sobre rodas: um ônibus americano escolar.

Em um ano de negócio, os sócios já venderam 80 mil hambúrgueres e já seguem em direção à ampliação do empreendimento. “O primeiro Busger foi feito em um ônibus escolar americano. Agora fomos ainda mais ousados e levamos um ônibus londrino Double Decker, de 1965, único modelo no Brasil, que era de uma empresa de cosméticos, para a Truckvan customizar”, destaca Arjonas.

O Busger 2 possui um ambiente interno aconchegante para acomodar 24 pessoas no andar superior, composto por seis mesas, nove poltronas duplas e dois sofás. Já no primeiro andar, há uma cozinha completamente equipada, incluindo freezers, armários, fritadeiras e chopeira.

Após circular por eventos na capital, o ônibus londrino deve ficar em um ponto fixo em São Bernardo do Campo, região metropolitana de São Paulo. “Nossa expectativa é ter mais seis ônibus até 2019”, finaliza o empresário.

 

Gostou da nossa série? Então fique ligado no site que logo tem mais.

Acesse os outros sites da VideoPress

Portal Vida Moderna – www.vidamoderna.com.br

Portal VOIT – www.voit.com.br

Publicidade

 

Categories: NOTÍCIAS

Deixe um comentário

Seu e-mail não será divulgado.
Campos obrigatórios são marcados com*